A NECESSIDADE DE GERENCIAMENTO DE RISCOS NAS ENTIDADES DO SISTEMA S, SEGUNDO RECOMENDAÇÃO DO TCU ... 28 de Janeiro de 2020

O Tribunal de Contas da União recomendou às Entidades integrantes do Sistema S que estabeleçam diretrizes para implantação de gerenciamento de riscos que possam impactar os objetivos estabelecidos para assegurar a eficiência na prestação dos seus serviços.  Esse é o teor do recentíssimo Acórdão 69/2020, do Plenário do TCU. Além do mais, a Corte de Contas da União ainda sinalizou pela aplicação da metodologia estabelecida pelo COSO (Committee of Sponsoring Organizations of the Treadway Commission), seguindo o mesmo lastro orientativo utilizado pelo Poder Executivo Federal na Instrução Normativa Conjunta CGU/MPOG 1/2016.

Observa-se nos últimos anos que o TCU tem dado especial atenção às entidades do Sistema S com relação à necessidade de aprimoramento dos seus processos de controle, governança e gerenciamento de riscos, a exemplo do teor dos Acórdãos n° 6321/2018 e 7970/2018, ambos da Primeira Câmara. No Acórdão 2504/2017 do Plenário, o Tribunal havia determinado o estabelecimento de “diretrizes para implantar, manter, monitorar e revisar controles internos institucionais, tendo por base a identificação, a avaliação e o gerenciamento de riscos que possam impactar a consecução dos objetivos estabelecidos”. O recente Acórdão 69/2020, em reexame àquela decisão de 2017, apenas alterou o caráter cogente da deliberação transformando em recomendação.

De fato, o gerenciamento de riscos permite que as entidades atuem de forma preventiva, antevendo possíveis perdas, para o tratamento adequado. Gerenciar riscos, portanto, é controlar as incertezas quanto à consecução de objetivos definidos. O risco é identificado, medido ou estimado e são criadas estratégias de tratamento, visando evita-lo, transferi-lo ou mitiga-lo.

Dessa forma, a implementação de governança, controle e gerenciamento de riscos, com metodologia amplamente utilizada e referência no Brasil e na maioria dos países, como a do COSO, tem como propósito nuclear agregar às atividades das entidades do Sistema S maior transparência, impessoalidade, controle, eficiência e moralidade. 

COMPARTILHE:
!
A opinião emitida nos textos é de total responsabilidade de seus autores e não corresponde, necessariamente, aos entendimentos do Grupo JML.

Cadastre seu comentário

Espaço aberto para debates sobre os temas postados pela equipe da JML. Não é permitido envio de consultas.

Caso você seja assinante do serviço Orientações JML e queira enviar uma consulta, utilize o sistema específico de envio da área restrita ou clique aqui.

Sustentabilidade // 18 de Julho de 2017
A SUSTENTABILIDADE NAS EMPRESAS ESTATAIS. UMA BREVE ANÁLISE SOBRE A AVALIAÇÃO DO CICLO DE VIDA DO OBJETO COMO FERRAMENTA PARA AFERIR A VANTAJOSIDADE DAS CONTRATAÇÕES.
Por: Caroline Rodrigues da Silva
leia mais
Proposta // 04 de Outubro de 2016
A DESCLASSIFICAÇÃO DE PROPOSTAS EM FUNÇÃO DO VALOR APRESENTADO NO PREGÃO. MOMENTO ADEQUADO.
Por: Caroline Rodrigues da Silva
leia mais
Rescisão // 21 de Setembro de 2015
PROCESSO DE REORGANIZAÇÃO SOCIETÁRIA (FUSÃO, CISÃO E INCORPORAÇÃO) E A CONTINUIDADE DOS CONTRATOS ADMINISTRATIVOS
Por: Caroline Rodrigues da Silva
leia mais
Licitação // 15 de Julho de 2015
PRINCÍPIO DO PROCEDIMENTO FORMAL X FORMALISMO
Por: Caroline Rodrigues da Silva
leia mais
Sistema "S" // 20 de Maio de 2015
SISTEMA “S”. A INDICAÇÃO DE TÍTULO DE LIVROS DIDÁTICOS CONSTITUI INDICAÇÃO DE MARCA?
Por: Caroline Rodrigues da Silva
leia mais
Contrato // 26 de Março de 2015
PRAZO MÁXIMO DE DURAÇÃO DO CONTRATO DE LICENÇA DE SOFTWARE
Por: Caroline Rodrigues da Silva
leia mais
Servidor // 13 de Fevereiro de 2015
O EXERCÍCIO DE ATIVIDADE PRIVADA POR SERVIDORES PÚBLICOS. NECESSÁRIA COMPATIBILIDADE DE FUNÇÃO OU CARGO E HORÁRIO
Por: Caroline Rodrigues da Silva
leia mais
Comissão de Licitação // 18 de Dezembro de 2014
A PROMOÇÃO DE DILIGÊNCIAS NAS LICITAÇÕES PÚBLICAS. OBRIGAÇÃO OU FACULDADE?
Por: Caroline Rodrigues da Silva
leia mais
SRP // 05 de Novembro de 2014
A INTENÇÃO DE REGISTRO DE PREÇOS NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA FEDERAL E A POSSIBILIDADE DE SUA DISPENSA E LIMITAÇÃO E PARTICIPANTES
Por: Caroline Rodrigues da Silva
leia mais
Licitação por item/lote // 30 de Setembro de 2014
ALTERAÇÃO CONTRATUAL QUANTITATIVA EM CONTRATO COMPOSTO POR ITENS
Por: Caroline Rodrigues da Silva
leia mais
Penalidades // 21 de Agosto de 2014
A ENTREGA DE PRODUTO FALSIFICADO E A CARACTERIZAÇÃO DA CONDUTA TIPIFICADA COMO CRIME PELA LEI DE LICITAÇÕES. PROCEDIMENTOS CABÍVEIS
Por: Caroline Rodrigues da Silva
leia mais
Qualificação técnica // 07 de Julho de 2014
A EXIGÊNCIA EM EDITAL DE CERTIFICAÇÃO TÉCNICA DE PRODUTOS NO INMETRO
Por: Caroline Rodrigues da Silva
leia mais
Reajuste/Repactuação/Revisão // 28 de Abril de 2014
A VALIDADE DAS CONVENÇÕES COLETIVAS E ACORDOS COLETIVOS DE TRABALHO E A IMPLICAÇÃO NAS REPACTUAÇÕES/REAJUSTES CONTRATUAIS
Por: Caroline Rodrigues da Silva
leia mais
Valor da Contratação // 22 de Abril de 2014
A UTILIZAÇÃO DE BANCOS DE PREÇOS PARA ESTIMATIVA DE PREÇOS EM LICITAÇÕES E A NECESSIDADE DE CAUTELA POR PARTE DO ADMINISTRADOR PÚBLICO
Por: Caroline Rodrigues da Silva
leia mais
CARREGAR MAIS ARTIGOS
Grupo JML
Grupo JML - PESSOAS Grupo JML - SERVIÇOS Grupo JML - TECNOLOGIA
Sites JML